Comitiva alemã visita três empresas do polo gesseiro em Araripina, PE

Uma comitiva com quatro pesquisadores alemães esteve nesta quarta-feira (9) em empresas do polo gesseiro, em Araripina, no Sertão do Araripe. A visita foi para tratar principalmente de questões ambientais e também incentivar a parceria entre empresários da região e a Alemanha.

A visita faz parte do workshop ‘Soluções ambientais e energeticamente sustentáveis para a indústria gesseira’, que é realizado pela Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe) e pela Câmara de Indústrias e Comércio Brasil/Alemanha.

Segundo a diretora regional da unidade do Araripe do Fiepe, Ceiça Costa, três empresas do polo gesseiro foram visitadas pela comitiva. “Eles vieram pra conhecer a mineração, a calcinação e as indústrias de pré-moldados. E partir daí fazer estudos da área de resíduos sólidos e promover pra as empresas locais, o desenvolvimento e a melhoria”.

Comitiva alemã visita Araripina, PE (Foto: Reprodução / TV Grande Rio)Comitiva alemã visita Araripina, PE
(Foto: Reprodução / TV Grande Rio)

A gipsita encontrada na chapada do Araripe é considerada pelos técnicos de mineração a de melhor qualidade do mundo. Cerca de 97% do gesso consumido no Brasil vem da região, e o polo gesseiro gera mais de 69 mil empregos indiretos, e quase 14 mil diretos.

O representante da câmara de comércio Brasil Alemanha, Philipp Hahn, relata que a visita é voltada para a questão de resíduos sólidos. “A federação das indústrias nos procurou no ano passado com a demanda de montar comparações com empresas e instituições de pesquisas na Alemanha, para juntamente atender a demanda do setor, na área de resíduos sólidos e destinação certa desses resíduos”, argumenta.

Outra ideia é criar parcerias entre as empresas de gesso da região e da Alemanha. “Nós temos muitas empresas detentoras de tecnologias, e conceitos inovadores na Alemanha, que podemos incluir nessa parceria no futuro, e também foi falado hoje já sobre um curso, talvez uma pós-graduação, para os gestores aqui das empresas da região na área de meio ambiente”,  revela Hahn.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *